Relatório de sustentabilidade da Heineken publicado de maneira inusitada

As empresas são obrigadas a publicarem seus relatórios de sustentabilidade, mas a apresentação de relatórios anuais de sustentabilidade não é nada atrativa para grande parte do público. Mas, e se ao invés do formato convencional esse material fosse cantado em forma de rap por um artista holandês? Foi exatamente isso que a Heineken resolveu fazer.


Um dado importante de ser ressaltado é que as empresas que publicam seus resultados e apresentam as melhores práticas de sustentabilidade tem em média 10% a 19% de suas ações mais valorizadas do que empresas que não assumem essa responsabilidade. Esse dado serve para desmascará que sustentabilidade não é rentável.
O relatório é uma ferramenta essencial para a gestão de negócios e deve possibilitar que uma organização entenda sua exposição aos riscos provocados por um ambiente de negócios cada vez mais volátil e sua capacidade de explorar as novas oportunidades geradas. Deve ser o meio pelo qual uma empresa coleta e analisa dados que são determinantes no seu processo de geração de valor e de adaptação a mudanças ambientais e sociais, além de ser capaz de convencer os investidores sobre o seu futuro. Afirma Ricardo Zibas, diretor da área de Mudanças Climáticas e Sustentabilidade da KPMG no Brasil.
Os leitores são principalmente os investidores que buscam informações sobre as empresas que estão listadas no mercado de ações. “Esse é o maior público, interessado principalmente em entender as metas das empresas para o futuro”, comenta Sonia Favaretto
5430_ddbrapp_vietnam_heineken_mainimage1_2000px1
‬ ‪#‎ISE‬ ‪#‎BM‬&FBOVESPA ‪#‎valoração‬ ‪#‎rentabilidade‬ ‪#‎heineken‬ ‪#‎heinekenbrasil‬ ‪#‎recife‬ ‪#‎pernambuco‬ ‪#‎brasil

entry was tagged %2$s. Bookmark the permalink.', 'zerif-lite' ); } else { $meta_text = __( 'Bookmark the permalink.', 'zerif-lite' ); } } else { // But this blog has loads of categories so we should probably display them here if ( '' != $tag_list ) { $meta_text = __( 'This entry was posted in %1$s and tagged %2$s. Bookmark the permalink.', 'zerif-lite' ); } else { $meta_text = __( 'This entry was posted in %1$s. Bookmark the permalink.', 'zerif-lite' ); } } // end check for categories on this blog printf( $meta_text, $category_list, $tag_list, get_permalink() ); ?>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *